sexta-feira, 23 de julho de 2010

Como fazer testes de stress aos bancos

O vosso banco reagiu bem aos testes de stress? Acreditam nos resultados? Sim, porque o facto do banco ter um bom resultado no teste, não é garantia que seja seguro... Pode ter havido batota, podem haver erros...

Eu falo por mim, o facto do meu banco ter passado no teste de stress não contribui substancialmente para reduzir o meu stress. Se me fizessem um teste de stress depois de saber o resultado dos testes de stress dos bancos, provavelmente eu chumbaria, mesmo que o meu banco passasse. Porquê? Porque eu não acredito nos resultados, a não ser que seja eu a fazer os testes.

É verdade, eu fiz os meus testes de stress aos bancos. Mas não precisam de saber os resultados, pois eu neste post vou-vos ensinar a fazer testes de stress a bancos.

Aliás os testes de stress que vos vou ensinar, que são altamente revolucionários e exigentes, além de poderem ser aplicados a bancos, podem ser usados também em cadeiras e sofás individuais.

Para saberem se os bancos resistem bem ao stress são necessários três testes, dois físicos e outro químico.

Para os testes físicos precisam de um indivíduo com pelo menos 115Kg e de um casal sexualmente compatível que tenha estado em jejum sexual durante um mês.

Os testes físicos são compostos por duas estapas, a estática e a móvel.

A estática consiste em sentar o indivíduo de pelo menos 115kg no banco e esperar 30 minutos ou meia hora (depende do tempo que tiverem disponível), se o banco não partir, nem rachar, passou o 1º teste.

Na etapa móvel sentamos o elemento masculino do casal no banco e o elemento feminino no colo do masculino. Ambos devem estar vestidos apenas com um capacete das obras (normas de segurança). Ao juntarmos os elementos eles reagem (é uma parte química do teste físico) e iniciam um movimento oscilatório.
Mais uma vez, o banco passa o teste de stress se não partir, nem rachar.

Os bancos que passarem nos testes físicos iniciam o teste químico, que deve ser realizado à hora de almoço. Para isso precisamos de um indivíduo esfomeado, de uma feijoada transmontana bem apurada e de uma garrafa de vinho.

O indivíduo deve comer o máximo de feijoada que puder e beber a garrafa de vinho. Uma vez feito isto, deve passar o resto do dia sentado no banco e não se inibir de libertar os gazes intestinais. Se o banco resistir passa o teste.

Amigos, acreditem que se o banco resistir a estes testes não há nada que o possa stressar. Podem dormir descansados.

5 comentários:

Selma Nunes disse...

oh maw, só mesmo tu... pergunto-me qual o interesse súbito nos bancos... estarás por um acaso já a pensar na reforma? lolol

Maw disse...

:) Nah, é só um dos temas com que somos "martelados" todos os dias...

Temos que os desconstruir, para manter a pouca sanidade mental que ainda resta.

1/2Kg de Broa disse...

Isto também funciona para os bancos do jardim?

Agora percebo o gráfico anterior!!!! Os bancos de baixo até ficaram inclinados mas não 'caírem, o que é sinal que estão com pouco stress

Maw disse...

Sim, em todos os bancos.
1/2 Kg, ainda me consegues espantar com a tua perspicácia. É do vinho verde, faz milagres pela perspicácia de um gajo!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.